Por que fazer pesquisa autoral?

Você já deve ter notado que muitos institutos de pesquisa de tempos em tempos disponibilizam estudos autorais gratuitos para o público. Mas, você já se perguntou porque as empresas fazem isso? Para sair nos veículos de comunicação, talvez você pense. A reposta é que esses estudos sim servem para esse tipo de finalidade, mas será que apenas para isso? Esse post é o primeiro de uma série de 11 que vamos publicar aqui no blog da ReFuture sobre o segmento em que atuamos.

O setor de pesquisa de mercado se consolidou na segunda metade do século XX bebendo da fonte do Marketing e da necessidade de se compreender como os 4 P’s (produto, preço, praça e promoção) poderiam ajudar uma empresa a escolher um bom ponto de venda, um bom produto/serviço, compreender o perfil do cliente, o perfil do cliente da concorrência, isso sem contar outras possibilidades. O fato é que com a virada do século XX para o século XXI e o uso quotidiano da internet, essa premissa mudou um pouco. Cada vez mais começaram a surgir as empresas de pesquisa de mercado focadas em comportamento do consumidor. Isso porque esse comportamento estava mudando de forma cada vez mais veloz em um menor espaço de tempo. Essas mudanças faziam com que as empresas tivessem que alterar a rota das suas decisões estratégicas para continuar vendendo. Soma-se isso ao fato de o branding ter dominado a cena completamente. Com isso, em 2020 já somos todos capazes de compreender a humanização das marcas, a necessidade de propósito, de impactos positivos no meio externo, de valorizar o time interno. Coisas que lá na década de 1980 pareciam muito distantes.

A partir dos anos 2000, presenciamos muitas consultorias de pesquisa de comportamento do consumidor surgir tanto no cenário brasileiro quanto no exterior. Todas elas com abordagens qualitativas advindas da Antropologia, da Psicologia, da Sociologia, da Semiótica para tentar traduzir esse novo consumidor. Por isso, atualmente, os estudos autorais que os institutos de pesquisa publicam gratuitamente tendem a ser muito mais focados em aprofundar como as pessoas se comportam do que necessariamente compreender o mercado per si. Não à toa também surgiram muitos nomes bonitos, quase sempre em língua inglesa, para denominar esses profissionais. Termos como “futurists”, “trend forecaster”, “Coolhunter”, “consumer insights” e toda uma sopa de letrinhas para pessoas que tentam compreender para onde está indo o comportamento das pessoas e como isso afeta o consumo de produtos e serviços para que as empresas possam se posicionar quanto a isso.

Nesse cenário, você já pensou em usar a pesquisa autoral como estratégia de marketing na sua empresa ou na empresa que trabalha? Algumas vantagens disso:

1)Ganhar visibilidade no mercado visto que esse conteúdo pode ser trabalhado na imprensa e em veículos de comunicação.

2)Se tornar referência em suas áreas de atuação.

3)Demostrar preocupação em devolver para o mercado informação relevante já que todos podem aprender com conteúdo de qualidade.

4) Melhorar as boas práticas do mercado que atuam.

E você? Já pensou em fazer um estudo autoral pensando no mercado que você atua? Se sim, entre em contato conosco que teremos o maior prazer em auxiliar você a usar a pesquisa autoral como ferramenta de estratégia de marketing.

Destaques
Notícias Recentes
Arquivo