Como fazer um questionário qualitativo assertivo?

O momento de pensar e organizar um questionário qualitativo é sempre delicado tanto pelo fluxo de perguntas a ser feito quanto pelo tipo de pergunta a ser feito. Essa etapa é um pouco mais complexa de se “ensinar” porque existem algumas regras de ouro assim como um “know how” que é desenvolvido ao longo do tempo por profissionais que trabalham na área e que fazem questionários com muita frequência. Por isso, vamos tentar seguir aqui com dicas práticas que podem ajudar você a estruturar um bom questionário qualitativo, mas já avisamos que isso não impede a necessidade de um profissional da área revisar esse documento para que não seja cometido nenhum erro que impacte negativamente o resultado final do projeto. Além disso, vamos dar enfoque em um questionário pensado para uma entrevista em profundidade ou um grupo focal porque eles são os mais complexos a serem feitos.

Introdução:

  • Um texto padrão de apresentação com o nome do projeto, a empresa que está por trás dele, qual o objetivo do estudo, tempo previsto de duração da entrevista.

Nessa parte sempre tem também a apresentação do profissional que está conduzindo a metodologia. Ele sempre reforça que em uma pesquisa qualitativa não tem nem certo, nem errado e sim a opinião do pesquisado. E que o objetivo final é compreender como essa pessoa pensa e age sobre um determinado assunto.

  • Abordagem das questões de confidencialidade.

Vai haver gravação de voz? De imagem? Isso precisa ser sinalizado no começo da metodologia. O que será feito com os dados desse trabalho após a sua finalização? Eles vão ser veiculados publicamente? Internamente? Isso também precisa ser explicado nesse texto inicial.

Resumo da Introdução: todos os aspectos técnicos, metodológicos, estratégicos, de confidencialidade tem de ficar claros no começo. Caso a pessoa não se sinta segura ou à vontade ela pode declinar a participação dela sem responder a nenhuma pergunta específica.

Aquecimento/Warm Up:

  • Etapa de quebra-gelo. Envolve as perguntas sobre a pessoa, sua personalidade, seu dia -a – dia, seus gostos, hobbies, família, trabalho etc.

  • Também pode envolver perguntas-filtro. Ou seja, alguns dos critérios que foram utilizados para que aquela pessoa fosse escolhida para participar da pesquisa, ela tem a chance de repetir em voz própria.

Exemplo: Vamos imaginar uma pesquisa sobre um restaurante X. Digamos que um dos critérios para participar da pesquisa foi a frequência dessa pessoa nesse restaurante. Nessa etapa, caberia uma pergunta como:

Pesquisador- “Qual é a sua rotina de ida a restaurantes? Você costuma ir onde?”

Resposta: Aqui é o primeiro momento que a marca pode ser mencionada.

Resumo do Warm-up: É uma etapa fundamental para se criar um laço de confiança entre o pesquisador e o pesquisado. Não desperdice essa chance.

Desenvolvimento:

  • Esse é o momento em que as dores serão trabalhadas por meio de eixos temáticos que façam sentido para responder cada dor. Via de regra, uma entrevista ou grupo focal tem duração de 1h/1h30. Então, pense que, na média, você conseguirá criar no máximo 3 eixos para desenvolver nesse intervalo de tempo.

Exemplo: vamos continuar com a pesquisa fictícia sobre o restaurante. Uma possibilidade de eixos temáticos para o desenvolvimento do questionário seria:

1) Hábitos de Alimentação dentro e fora de casa

2) Marcas em Geral

3) Sobre a Marca X

A partir da definição desses três eixos virão as perguntas dentro dele. Mas, lembre-se que as perguntas sempre que ter relação com o tema do eixo.

Resumo do Desenvolvimento: O desenvolvimento é o coração do roteiro. Sem a definição correta dos eixos a serem seguidos, você corre o risco de perguntar coisas inúteis ou de misturar os temas e confundir o pesquisado.

Conclusão:

  • Sempre existe um eixo final a ser trabalhado que é a conclusão. Ele pode trabalhar tanto questões mais acessórias que podem ensejar um outro projeto quanto podem também trabalhar a ideia de futuro do produto/serviço.

  • É sempre nessa etapa que se deixa a última pergunta aberta para a pessoa comentar qualquer coisa que considere ter faltado, dar alguma sugestão, fazer alguma crítica. Sempre é o pesquisado que dá a palavra final. O pesquisador sempre agradece e encerra dizendo que o canal fica aberto para futuras contribuições que aquela pessoa queira fazer.

Esse foi o resumo mais completo que pudemos fazer sobre esse tópico de roteiros. Caso você tenha ainda alguma dúvida, entre em contato conosco para podermos ajudar. :)

Destaques
Notícias Recentes
Arquivo